Por favor aguarde...
Autenticado-o automaticamente no Terrachat com as suas credenciais do Facebook
Follow us on Twitter
Bem-vindo, Visitante

A ÁRVORE HULUPPU - (Para nós é o Génesis/Bíblia)
(1 a ver) (1) Visitante

  • Página:
  • 1

A ÁRVORE HULUPPU - (Para nós é o Génesis/Bíblia)

Partilhar no Facebook
Comentar no Facebook

A ÁRVORE HULUPPU - (Para nós é o Génesis/Bíblia) 21 Ago 2012 14:49 #4862

  • Natureza
A diferença do Génesis/Bíblia e as maldições, e a dos Sumérios que deixaram há 6.000 anos uma ideia totalmente diferente:
Fonte: documentofantastico.blogspot.pt/2011/05/arvore-huluppu.html

"Nos primeiros dias, nos muito primeiros dias,
Nas Primeiras noites, nas muitas primeiras noites,
Nos primeiros anos, nos muitos primeiros anos,
Nos primeiros dias, quando cada uma das coisas estava sendo criada,
Nos primeiros dias, quando cada uma das necessidades estava sendo dimensionada,
Quando o pão deixou de ser um segredo na terra,
Quando o pão era assado nas casas da terra,
Quando o céu se afastou da terra,
Quando a terra foi separada do céu,
E as naves dos homens aterrissaram;
Quando deus do céu, Ann, chegou dos céus,
Quando o deus do AR, Enlil, chegou da terra,
Quando a rainha do abismo, Ereshkigal, teve
O submundo por domínio,
Ele navegava, O Pai navegava,
Enki, o deus da Sabedoria, ele navegou para o mundo inferior.
Pequenas pedras passaram por ele,
Por grandes pedras ele passou,
Como se fossem tartarugas,
Foram recolhidas no barco de Enki.
As águas do mar abatiam-se sobre seu barco como lobos,
As águas do mar abatiam-se sobre seu barco como leões.
Neste tempo, uma árvore, uma árvore solitária, a árvore Huluppu
Foi plantada nas margens do Eufrates.
A árvore nutria-se das águas do Eufrates.
O vento sul a embalava, e suas raízes
E galhos ramificavam-se
Até onde as águas do Eufrates desaguavam.
Uma mulher que caminhava com temor das palavras do deus do céu, Ann,
Com temor do deus do ar, Enlil,
Encontrou a árvore no rio e falou:
"Eu levarei esta árvore para Uruk,
Eu plantarei esta árvore no meu jardim particular".
Inana tomou a árvore com cuidado em suas mãos
Ela revolveu a terra em torno da árvore com seus pés
Ela maravilhou-se:
"Como crescerá até que eu tenha um trono para sentar-me?
Como crescerá até que eu tenha uma cama para dormir?"
Os anos passaram; cinco anos passaram, e então dez.
A árvore germinou rápido,
Mas sua casca não se dividia.
Então a serpente que não pode se encantada
Fez seu ninho nas raízes da árvore Huluppu.
O pássaro Anzu fez seu ninho em seus ramos.
E a sombria Lilith fez sua casa em seu tronco.
A jovem mulher que gostava de sorrir, chorou.
Como Inana chorou!
(Ela não podia mais se aproximar de sua árvore)
Quando os pássaros começam a cantar, com a chegada da aurora,
O deus do Sol, Utu, deixou seu quarto.
Inana chamou seu irmão Utu, dizendo:
"Utu, nos dias em que os destinos foram decretados,
Quando a abundância da terra foi descoberta,
Quando o deus do Céu ( An ) fêz os céus, e o deus do ar ( Enlil )
Fez a Terra,
Quando Ereshkigal ganhou o grande abaixo por domínio,
O deus da Sabedoria, Pai Enki, navegou pelas
Águas do mundo inferior,
E o submundo o atacou ...
Neste tempo, uma árvore, uma árvore solitária, a árvore Huluppu
Foi plantada nas margens do Eufrates.
O vento sul a embalou e suas raízes e ramos cresceram
Até onde o Eufrates desagua.
Eu peguei esta árvore do rio,
E a plantei em meu jardim particular.
Eu cuidei da árvore, esperando que ela fosse meu trono e minha cama.
Então a serpente que não pode ser encantada
Aninhou-se em suas raízes,
E o pássaro Anzu aninhou-se em seus galhos,
E a sombria Lilith construiu sua casa em seu tronco.
Eu chorei.
Como eu chorei!
( porque não podia mais aproximar-me de minha árvore ) "
Utu, o valente guerreiro, Utu,
Não podia ajudar sua irmã, Inana.
Quando os pássaros começam a cantar com a Segunda aurora,
Inana chamou seu irmão, Gilgamesh, dizendo:
"Gilgamesh, nos dias em que os destinos foram criados,
Quando a abundância foi descoberta no local da aterrissagem,
Quando o deus do céu criou os céus e o deus do ar
A Terra,
Quando Ereshkigal ganhou o grande abaixo para seu domínio,
O deus da sabedoria, Pai Enki, navegou
Pelo submundo,
E o submundo o atacou.
Neste tempo, uma árvore, uma árvore solitária, a árvore Huluppu
Foi plantada nas margens do Eufrates.
O vento sul a embalou e suas raízes e ramos cresceram
Até onde o Eufrates desagua.
Eu peguei esta árvore do rio,
E a plantei em meu jardim particular.
Eu cuidei da árvore, esperando que ela fosse meu trono e minha cama.
Então a serpente que não pode ser encantada
Aninhou-se em suas raízes,
E o pássaro Anzu aninhou-se em seus galhos,
E a sombria Lilith construiu sua casa em seu tronco.
Eu chorei.
Como eu chorei!
( porque não podia mais aproximar-me de minha árvore ) "
Gilgamesh, o valente guerreiro Gilgamesh,
O herói de Uruk, chamado por Inanna.
Gilgamesh vestiu sua armadura de cinqüenta minas como proteção.
Cinqüenta minas eram para ele como cinqüenta plumas.
Pegou seu machado de bronze, o machado do caminho,
Pesando sete talentos e sete minas, em seu ombro.
Ele entrou no jardim de Inana.
Gilgamesh atacou a serpente que não podia ser encantada.
O pássaro Anzu fugiu para as montanhas;
E Lilith abandonou sua casa e fugiu no vento, para lugares desabitados.
Gilgamesh então cortou as raízes da árvore Huluppa;
E os filhos da cidade, que o acompanhavam, cortaram seus ramos.
Do tronco ele fez um trono para sua irmã.
Do tronco, Gilgamesh fez uma cama para Inana.
Das raízes ela fez um pukku para seu irmão.
Da coroa da árvore ela fez um mikku para Gilgamesh,
O herói de Uruk.

FONTE: www.sigghil.com/"

Fonte: documentofantastico.blogspot.pt
Comentar no Facebook

Re:

  • Terraflirt
  • ONLINE
  • Robot
  • Mensagens: 1000
  • Karma: 94567

 

 


  
 
 

 


  • Página:
  • 1
Tempo para criar página: 0.18 segundos